Como é a carreira militar? Tire agora suas principais dúvidas!

Tanto o Exército quanto a Aeronáutica e a Marinha sempre chamaram a atenção de quem busca uma profissão com estabilidade e bom salário. Porém, muitas pessoas desconhecem como é a carreira militar e não sabem se têm o perfil ideal para tentar uma vaga. 

Essas três instituições fazem parte das Forças Armadas do Brasil, atuando sob a autoridade do Presidente da República para manter a segurança e a ordem do país. E, para ingressar em cada uma delas, há pré-requisitos — inclusive, quem tiver interesse pode começar no ensino médio. 

Para se aprofundar mais no tema, continue a leitura do post e tenha suas principais dúvidas sanadas!

Saiba como é a carreira militar e seus níveis 

Primeiramente, é preciso entender o que é ser um militar, ou seja, é um integrante das Forças Armadas que tem a autorização de usar a força em situações de guerra ou não, desde que seja para proteger o Brasil e seus cidadãos. Agora, a carreira militar é composta das profissões e dos cargos dentro dessa organização. 

O Exército, a Aeronáutica e a Marinha brasileira investem muito na educação a partir do ensino médio até o superior, visando a uma formação completa dos seus integrantes. Diante disso, existem três níveis de carreira militar, que você conferirá a seguir.

Nível 1 – Escolas preparatórias 

As escolas preparatórias formam alunos no ensino médio e são divididas da seguinte maneira: 

  • Colégios Navais, que são as escolas da carreira militar da Marinha; 
  • Escolas Preparatórias de Cadetes do Exército – ESPCex, que são direcionadas para a carreira do Exército; 
  • Escolas Preparatórias de Cadetes do Ar – Epcar, que são as escolas da Aeronáutica. 

Em todas elas, os alunos, depois de concluídos os cursos, recebem o título de cadete. Mas, para isso, os interessados concorrem a vagas muito disputadas. Isso porque quem consegue ingressar em uma escola preparatória terá um treinamento militar básico e físico nas modalidades de natação, futebol, vôlei, dentre outras, durante os três anos de ensino. Após esse período, se o aluno deseja continuar, ele será admitido em uma Academia Militar. 

Nível 2 – Academias Militares 

Tão disputadas quanto as escolas preparatórias, as Academias Militares oferecem uma formação mais técnica para que os integrantes saiam com uma profissão e o título de oficial militar. Elas são separadas desta forma: 

  • Escolas Navais, que são as academias militares da Marinha; 
  • Academia da Força Aérea – AFA, que faz parte da Aeronáutica; 
  • Academia Militar das Agulhas Negras – AMAN, que é do Exército; 
  • Academias Estaduais da Polícia Militar, que são as academias da Polícia Militar. 

Nelas, além de receberem um ensino de qualidade, os alunos também são remunerados e têm, gratuitamente, alimentação, moradia, vestuário e assistência à saúde. Os cursos têm quatro anos de duração em regime de internato, sendo possível sair nos finais de semana e feriados. 

Nível 3 – Instituto Militar de Engenharia (IME) 

Essa é uma unidade que pertence à Escola Superior de Engenharia do Exército brasileiro. Ela mantém cursos de graduação, pós-graduação e especialização para os militares. No entanto, também aceita civis que fizeram o ensino médio normal. Fazem parte da graduação os cursos de engenharia: 

  • cartográfica; 
  • de fortificações; 
  • de comunicações; 
  • de computação; 
  • aeroespacial; 
  • elétrica;
  • eletrônica; 
  • mecânica de automóveis; 
  • mecânica de armamentos; 
  • metalúrgica; 
  • química.

Essa instituição foi criada em 1959, unindo a Escola Técnica do Exército e o Instituto Militar de Tecnologia. Uma vez que os alunos frequentam os cinco anos dos cursos de engenharia, o IME permite que eles cheguem a general de divisão de engenharia. 

Nível 4 – Instituto de Tecnologia de Aeronáutica (ITA) 

O Instituto de Tecnologia de Aeronáutica (ITA) é a Escola Superior de Engenharia da Aeronáutica do Brasil, que surgiu da união de diversas unidades escolares de engenharia da instituição, em 1950. 

Referência na formação de profissionais de engenharia aeronáutica, tem formado gerações de projetistas. Seus cursos são divididos em duas fases: na primeira, os alunos têm conteúdo básico e geral de engenharia, recebendo um salário mínimo e treinamento militar e esportivo. No segundo ano, podem optar pelo ITA como civil ou como militar. 

Ambos são iguais, porém, o militar opta pela carreira recebendo conteúdos extras, por exemplo, de aulas de tiro, lutas e atividades atléticas avançadas. Ao se formar engenheiro, ele terá o título de primeiro-tenente engenheiro. Se continuar na carreira militar, pode ter a maior patente — major-brigadeiro. Também poderá trabalhar dentro da Aeronáutica nas bases fazendo manutenções de aviões, caças e bombardeiros, testes de armas, sistema de defesa etc. 

Veja as dúvidas comuns a respeito da carreira militar 

Quais os maiores desafios dos militares? 

Inicialmente, é passar em todo o processo seletivo para ingressar na carreira. Depois, a rotina cansativa, o respeito pelas autoridades, seguindo os princípios éticos de ordem, e trabalhar em equipe. 

Quais são os requisitos para ingresso? 

Ensino médio

Para o Exército, os candidatos devem prestar o concurso público e ser aprovados, fazendo testes físicos e de saúde, tendo altura mínima de 1,60 m (para homens) e 1,55 m (para mulheres), sendo nascidos no Brasil ou naturalizados. A idade depende do curso a ser escolhido, bem como as especificações. 

Já a Marinha exige aprovação no concurso, idade mínima de 18 anos, idoneidade moral e boa conduta e aprovação nos testes físicos, de saúde e psicológicos. Outros pré-requisitos dependerão da escola em que se dará o ingresso.

Quanto à Aeronáutica, no exame de admissão, a idade depende da escola em que se dará o ingresso, bem como o teste de aptidão e os testes físicos, de saúde e psicológicos.

Ensino superior 

O Exército exige a nacionalidade brasileira, aprovação no concurso e altura mínima de 1,60 m (para homens) e 1,55 m (para mulheres). Se for entrar na Escola de Saúde, a pessoa precisa ter nascido depois de 1984, mas, se ingressar no curso de Formação de Oficiais do Quadro de Engenheiros Militares, o nascimento precisa ter sido após 1994. 

A Marinha requer também a nacionalidade brasileira, a aprovação no concurso e a atualização com o serviço militar e a justiça eleitoral. 

Quanto à Aeronáutica, além do concurso e de ser brasileiro, é necessário ter, no máximo, 35 anos, exceto para o estágio de Instrução e Adaptação de Capelães da Aeronáutica, que exige entre 30 e 41 anos. 

Quais são os benefícios da carreira militar? 

Abaixo, veja quais são os benefícios relacionados:

  • bolsa-auxílio, se for estudante; 
  • salário; 
  • assistência médica, odontológica e psicológica; 
  • alimentação; 
  • fardamento;
  • alojamento coletivo; 
  • acesso às áreas de lazer; 
  • uso da infraestrutura de permissionários, como cantina, barbearia, alfaiataria etc.; 
  • férias e licenciamentos. 

Antes de ingressar na carreira militar, analise se seu perfil tem o propósito de arriscar a vida, seguir rígidas disciplinas e hierarquias e ter dedicação exclusiva, disponibilidade permanente, mobilidade geográfica e vigor físico, além de enfrentar o distanciamento da família. 

Gostou do nosso post que fala sobre como é a carreira militar? Considera-se apto? Veja, então, os 7 motivos para ser um engenheiro da Marinha

Se você não é engenheiro, confira esse post com detalhes sobre o Processo Seletivo para Oficiais Temporários da Marinha do Brasil e descubra se você pode participar dele.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha suas informações de contato e redirecionaremos você para o nosso melhor atendimento.